>Reunião de Periódico 25.10

>

A curva de retornos de ativos financeiros é de extrema relevância para tomadores de decisão economia, visto que ela pode ser entendida como uma espécie de termômetro de atividade econômica. Nesse sentido é fundamental o conhecimento sobre quais as melhores formas de medir essa curva e conseguir prevê-la. 
O artigo apresentado foi “Forecasting the Yield Curve for the Euro Region”, escrito por Benjamin Tabak,Daniel Cajuerio e Alexandre Balduíno. Ele se propõe a testar dois modelos líderes na literatura, concebidos por Diebold e Li (2006) e Bowsher e Meeks (2008) entre si e contra um modelo de passeio aleatório (como teste de eficácia mínima). A comparação entre os modelos será feita com a utilização de dados de janeiro de 1999 a julho de 2009, onde utilizamos os modelos para prever a taxa de retorno de bonds europeus (na União Européia) e em seguida medimos a eficácia preditiva de cada modelo através da estatística de Diebold e Mariano (1995). O resultado principal é que o modelo de Bowsher e Meeks (2008) supera o de Diebold e Li (2006) nas previsões de maturidades baixas, e ambos os modelos prevêem melhor que o passeio aleatório.


Por Alexandre Sollaci
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s