Um estudo sobre retorno em escolaridade no Brasil

Estudos voltados para os retornos privados da educação nos EUA evidenciam uma tendência na qual a educação básica se torna gradativamente insignificante na determinação da renda dos indivíduos, enquanto que a educação de nível superior se torna cada vez mais relevante, ou seja, uma tendência semelhante a das externalidades de capital humano. Tal tendência se relaciona com o modelo de Romer (1990) segundo o qual o crescimento estaria relacionado com a evolução da fronteira tecnológica e, portanto, com a fronteira da educação, não com a base.

O artigo “Um estudo sobre retorno em escolaridade no Brasil” (Sachsida, Loureiro e Mendonça, 2004), apresentado na reunião de 21.05, é um dos diversos que buscam identificar os retornos para a educação conforme o nível de escolaridade. O artigo possibilitará apresentar os principais problemas envolvidos na mensuração dos retornos privados da educação, algumas das diversas formas de lidar com tais problemas e ainda uma comparação entre os resultados encontrados para o Brasil.

A conclusão do artigo evidência a existência de retornos crescentes para a educação no Brasil, além da presença de um viés de seleção amostral que pode ser contornado com o uso do modelo de Heckman (1979). Essa conclusão reforça a implementação de incentivos para a educação básica, de modo a equilibrar os menores retornos salariais obtidos nessa faixa educacional.

Apresentador: Matheus Costa

Um estudo sobre retorno em educação no Brasil – Matheus Costa

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s