A estratégia de Overbooking e sua aplicação no mercado de transporte aéreo brasileiro

Na reunião de segunda-feira, dia 9 de setembro, o PET apresentou uma estratégia utilizada pelas empresas aéreas para maximizar as receitas decorrentes do serviço de transporte: a prática do overbooking.

Devido às reformas liberalizantes implementadas no mercado brasileiro desde a década de 1990, retirando o controle sobre os preços dos bilhetes e facilitando a entrada de novas empresas, e devido à instabilidade do setor de aviação, em que grande parte dos custos são atrelados ao dólar, cujo valor se apreciou frente ao real nas últimas semanas, as empresas se vêem obrigadas a implementar uma estratégia que permita otimizar o serviço, maximizar as receitas e minimizar os custos.

Conceitualmente, o overbooking corresponde ao “aumento virtual da capacidade ofertada em um voo”, ou seja, as empresas vendem mais bilhetes do que assentos disponíveis em um avião. Essa medida se faz necessária devido ao fato de muitos passageiros confirmarem suas reservas e não embarcarem, causando incertezas às empresas aéreas quanto ao nível de ocupação em seus voos.

A diferenciação de preços também se faz presente nas ações das empresas aéreas. Dessa forma, os bilhetes são ofertados em diversas classes tarifárias. Para proteger os clientes da classe que mais traz lucratividade, as companhias aéreas permitem que esses passageiros que compram bilhetes mais caros alterem seus voos a qualquer momento sem a cobrança de multas ou taxas. Além disso, esses clientes podem pedir reembolso de seus bilhetes. Assim, essa flexibilidade proporcionada faz com que muitos passageiros não compareçam ao voo, o que caracteriza a situação de no-show.

Portanto, o no-show faz com que as empresas vendam mais bilhetes do que assentos realmente disponíveis no voo a fim de se reduzir a ociosidade das aeronaves.

Por meio de métodos matemáticos, os estudiosos mostram que essa prática é benéfica também para os passageiros, pensamento que não está presente no senso comum. Além disso, demostram que ela permite adicionais de receitas, fundamentais para a viabilidade do setor de aviação.

Os autores, Alessandro Oliveira e Renée Baptista, concluem que não há abuso com relação ao uso da estratégia de Overbooking no mercado brasileiro. Ainda, apesar de largamente utilizada em todo o mundo, essa prática é pouco esclarecida aos usuários do transporte aéreo no Brasil. Além disso, segundo eles, é preciso melhorar a gestão desse procedimento pelas empresas de aviação.

Apresentador: Marcelo Bezerra Lopes

A estratégia de Overbooking e sua aplicação no mercado de transporte aéreo brasileiro – Marcelo Lopes

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s