The Deadweight Loss of Christmas

No dia 22 de abril, a petiana Amanda Ramos apresentou o artigo The Deadweight Loss of Christmas, escrito por Joel Waldfogel em 1993 . O autor tem PhD em Economia pela Stanford University e atualmente leciona na Carlson School of Management. Em The Deadweight Loss of Christmas, ele faz uma análise microeconômica simples para argumentar que presentear pessoas em datas comemorativas como o Natal é consideravelmente ineficiente.

A base de dados foi elaborada com questionários respondidos pelos estudantes de Economia da Yale University. Aos estudantes foram aplicados dois questionários: no primeiro, essencialmente, eles diziam a quantidade máxima em dinheiro que estavam dispostos a pagar por um objeto semelhante ao que receberam de presente. No segundo, porém, eles diziam a quantia mínima de dinheiro que aceitariam no lugar do presente.

O autor chamou de rendimento a diferença entre o quanto os estudantes acharam que a pessoa que os presenteou pagou pelo objeto e o quanto eles achavam que, deixando valores sentimentais de lado, o objeto de fato valia.

Para o primeiro questionário, o rendimento médio do presente foi de 71,5%. O que significa que, para obter o mesmo bem, o estudante pagaria apenas 71,5% do valor que ele achava que havia sido pago pelo presenteador. Os 30% restantes foi o que o autor denotou “limite superior da perda de peso morto”. No segundo questionário, por sua vez, o ” limite inferior da perda de peso morto ” foi de aproximadamente 10%, enquanto o rendimento médio foi de 90,8%.

Existe, ainda, um problema de validade externa para esse estudo: a renda dos estudantes de Yale não são compatíveis com a renda da população geral dos Estados Unidos. Essa observação poderia impedir que as conclusões do artigo fossem representativas da população total. Sobre tal impasse, Waldfogel traz uma tabela que mostra que, para qualquer nível de preços, se observa pelo menos uma perda de peso morto de 10%. Por isso ele afirma que o limite inferior de 10% pode ser ampliado para toda a população.

National Family Opinion mostrou que, em 1992 – mesmo ano da amostra – 38 bilhões de dólares foram gastos com presentes em datas comemorativas. Dessa forma, a perda de peso morto estaria entre 4 e 13 bilhões de reais.

O problema da amostragem anteriormente referido foi uma das críticas que o artigo recebeu. Solnick e Hemnway (1996) estimaram um modelo com dados de pessoas que transitavam em estações de trem e aeroportos e concluíram que dar presentes aumenta em 214% o valor desses.

Apresentado por: Amanda Ramos

The Deadweight Loss of Christmas – Amanda Ramos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s