A Model of Growth Through Creative Destruction

Na sexta-feira, dia 19 de junho de 2015, foi apresentado o artigo A Model of Growth Through Creative Destruction escrito por Philipe Aghion e Peter Howitt. O trabalho foi publicado em 1992 na Econometrica, importante jornal internacional de Ciências Econômicas. A reunião de periódico teve como intuito expor o artigo, isto é, trazer suas principais contribuições, bem como discutir o tema inovações tendo em vista o arcabouço teórico da teoria do crescimento econômico e a quem ela contribui o papel de motor do crescimento.

O artigo nada mais é que a confecção de um modelo de crescimento econômico alicerçado no conceito e, mais profundamente, na discussão a respeito do conceito de Destruição Criativa ou Criadora cunhado por Joseph Schumpeter. Nesta perspectiva, a apresentação foi dividida em três grandes blocos.

O primeiro trouxe aos espectadores uma série de modelos de crescimento econômico do século XX, sobretudo, as perguntas os pesquisadores buscavam responder, em outras palavras, um mergulho nas discussões da época e como elas foram formalizadas academicamente. O segundo bloco teve como objetivo explicar o conceito Destruição Criativa. Em que contexto J. Schumpeter o cunhou? Em meio a uma discussão sobre sistemas, capitalismo frente ao socialismo.  Schumpeter estava dissertando a cerca da essência do sistema capitalista, isto é, o autor aponta para a inovação industrial como a responsável direta pelo crescimento econômico. O terceiro bloco, por fim, foi a apresentação do artigo e uma breve análise do Brasil como país inovador frente a Estados Unidos e Suíça à luz do Relatório de Competitividade Global 2014-15 produzido pelo World Economic Forum.

O trabalho A Model of Growth Through Creative Destruction visa formalizar econométrica e matematicamente o conceito da Destruição Criadora elaborando um modelo de crescimento a partir disso e analisar de um canal que recebia pouca atenção na teoria do crescimento econômico endógeno. A inovação é então a protagonista do crescimento posto que ela dá ao inovador acesso a uma renda de monopólio, trazendo-lhe lucros acima da média, inicialmente, além de ser a responsável por oxigenar o sistema. Ela destrói as rendas de monopólio anteriores e inicia um novo ciclo até ser superada por uma outra inovação. O trabalho também contribui no que diz respeito a identificação de um período de tempo diferente do tempo cronológico. Os autores elaboram o conceito de obsolescência. O período agora é baseado no intervalo de tempo entre inovações e a partir do surgimento de um produto melhor no mercado, hoje, os anteriores passam a ser obsoletos (ultrapassados).

Apresentado por: Marcello Ponce Leonis Fonseca

A Model of Growth Through Creative Destruction – Marcello Ponce

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s